Educação a Distância da UFLA recebe nota máxima do MEC

Em recredenciamento, a educação a distância da UFLA evoluiu do conceito 3 para 5

11.03 cead-aula-internet2A Educação a Distância da UFLA obteve conceito 5 em recredenciamento feito pelo Ministério da Educação (MEC). Os principais pontos examinados pela comissão avaliadora levaram em conta aspectos como a missão e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), políticas para o ensino e responsabilidade social.

De acordo com o professor Ronei Ximenes Martins, coordenador-geral do Centro de Educação a Distância (Cead), os avaliadores observaram não só os aspectos diretamente relacionados à educação a distância, mas também aspectos gerais da Universidade: “Eles ficaram bastante impressionados com a organização, o número de obras, a infraestrutura do câmpus, da biblioteca, e também com os recursos que a Universidade disponibiliza nos encontros presenciais, como os laboratórios de informática e os anfiteatros”.

Outros aspectos foram elogiados pelos avaliadores, como a organização do Cead em relação à oferta de cursos, o rigor do sistema de avaliação, o uso das tecnologias para as modalidades presenciais dos cursos, como as plataformas Aprender e Avançar, e o envolvimento dos profissionais relacionados a essas atividades.

A obtenção do conceito máximo indica tanto para a UFLA quanto para a comunidade em geral que o trabalho que o Cead tem realizado está no caminho certo. “Sinaliza para a sociedade que o que nós estamos fazendo tem qualidade e que as pessoas podem confiar no trabalho da Instituição.”, comemora o coordenador.

O reitor da UFLA, professor José Roberto Scolforo, compartilha o resultado com toda a comunidade acadêmica, com especial agradecimento à equipe do Cead, que tem trabalhado de forma sinérgica com as políticas de ensino-aprendizagem defendidas pela Pró-Reitoria de Graduação. Em sua avaliação, o resultado é mais um indicativo dos investimentos realizados em infraestrutura, processos e, sobretudo, recursos humanos qualificados e comprometidos com o desempenho da Instituição.

Para a pró-reitora de graduação da UFLA, professora Soraya Alvarenga Botelho, “esse conceito é um reconhecimento à dedicação de todos os membros da administração, dos docentes e dos servidores técnico- administrativos”.

A visita dos avaliadores foi realizada de 25 a 27 de fevereiro e as principais atividades envolveram visitas às instalações e reuniões com dirigentes, técnicos administrativos, professores e estudantes. A comissão foi composta de três doutores selecionados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

Tecnologia a favor da educação

A educação a distância na UFLA é oferecida desde 1987 e passou por diversas mudanças. Hoje, conta com 10 cursos nas diferentes modalidades: graduação a distância, pós-graduação latu sensu a distância e extensão. Se no início contava somente com material didático impresso e aulas presenciais, hoje, aliada à tecnologia, dispõe de videoconferências, videoaulas e material didático disponível on-line. Com isso, há um maior alcance da Universidade a regiões mais afastadas de Lavras e a um público diferenciado.

O crescimento da Educação a distância ocorreu também em âmbito federal. Programas como Universidade Aberta do Brasil (UAB) fomentam e incentivam a criação de cursos a distância, para garantir maior acesso da população ao ensino superior. O Universidade Aberta de Minas Gerais – Uaitec, programa recém-criado pelo governo estadual, tem como objetivo participar desse processo de expansão, dando ênfase a cursos de formação técnica e tecnológica. É mais um programa do qual a UFLA também faz parte.

De acordo com o coordenador-geral da UAB na UFLA, professor Cleber Carvalho de Castro, o conceito de excelência no ensino a distância foi conquistado ao longo de uma trajetória de constantes evoluções. “A UFLA foi uma das primeiras instituições federais brasileiras a implantar cursos a distância e, por meio de uma parceria de 24 anos com a Fundação de Apoio ao Ensino Pesquisa e Extensão (Faepe), colaborou para o crescimento e qualificação profissional de mais de 20 mil estudantes de cursos lato sensu, nesse período”, comenta o professor. E conclui: “a nota conquistada no recredenciamento demonstra que a UFLA está muito além das condições exigidas pelo MEC, trazendo uma reputação de excelência que nos credencia a obter recursos para a oferta de novos cursos”.

Texto: Marina Botelho (bolsista) ASCON/UFLA

Esta entrada foi publicada em Nóticias, Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.